As Fontes de Soda se acabaram, dizem as pessoas ao contemplar as poucas que restam no centro de Santiago, estão cada vez mais vazias. Nós chilenos passamos décadas convivendo com esse formato de restaurante, uma espécie de reinvento do “dinner” americano. Tiveram seu êxito máximo nos anos 80, quando as grandes redes de fast food, com seus combos, suas caixas felizes e palhaços amarelos, começaram a encher as ruas da cidade, deixando suas luzes de neon, seus assentos igualzinhos aos dos trens, seus guardanapos de papel duro e suas embalagens de cachou, maionese e mostarda, em evidência.


As Fontes de Soda receberam esse nome devido à bebidas carbonatas que serviam no local. Nos anos 80, que nunca teve um primeiro encontro em um desses, não estava fazendo as coisas direito. Gostaria de uma Coca-Cola com batata frita? – dizia o jovem galã, enquanto, em segredo, torcia para que, no rádio raquítico, começasse a tocar a canção romântica da época, para que, como sem querer, encostar nas mãos da garota dos seus sonhos… Por isso, recomendo o “Fuentes las Cabras”, muito, mas muito perto do shopping Costanera Center, para que se sintam chilenos, nos anos 80 e inclusive possam sentir a mesma nostalgia que sentiu seu chef, Juan Pablo Mellado, quando se deu conta que esses lugares necessitavam de ar fresco e encantar novamente.

Então juntou todo o necessário em um só lugar: luzes de neon que avisam que tem “comida boa”, um bom balcão com bancos de couro, garçons que te reconhecem depois da segunda visita, e comida chilena, mas passada pela mão de quem sabe que é necessário dar uma nova leitura à nossa comida, devolver o amor.

Quem se sentar no “Fuentes las Cabras” vai comer, mas de verdade. Eu recomendo, mas de olhos fechados, a “carne fechada com talharins”, um clássico da gastronomia chilena, e que consiste em um corte de carne fibrosa, que é cozida durante horas e horas em panela de pressão, com tomates frescos e molho de tomate, para serem suavemente colocadas sob uma camada de spaguettis cozidos al dente, coroado com uma generosa colherada de pesto, uma pequena assinatura do chef, que levanta o prato e o faz voar.

Como vegetariana, não fico sem opções. Meu favorito é a lentilha com molho de tomate e queijo parmesão ralado. Além disso, há boas opções de saladas fartas, quase transbordando do prato, e por isso mesmo, bem arrumadas. Ainda não provei, mas meus amigos dizem que é imperdível provar a “Palta Reina” e comprimentar-la com dois beijos inclusive, de tanto que vale a pena. Essa preparação típica, é feita com um abacate tipo avocado partido ao meio, recheado com frango desfiado, uma transbordante maionese caseira e ovos cozidos, escondidos no meio de um bosque de folhas verdes. Eu sei, brasileiro não come abacate na salada, mas amigos, não vou mentir, o abacate chileno tem um sabor bem diferente, que acompanha muito bem esse tipo de preparação. Além disso, comer e comer alguma coisa diferente ao que estamos acostumados, é viajar duas vezes. E quem quer levar, no estômago e na alma, um sabor desses que nos fazem recordar nossas mães e avós cozinhando em um domingo, não pode deixar de provar o “Pollo Arvejado”, que nada mais é do que um ensopado de frango, com cenoura, ervilha, cebola e carinho, bem rápido, enquanto elas arrumavam a casa ou lavavam a roupa, e o rádio tocava a todo volume, “O que Será de Você”, do Roberto Carlos. Sim, mas em espanhol. Nesse caso, o chef coloca molho de tomate, porque com certeza a mãe dele deveria fazer assim. E para terminar, batatas fritas quadradinhas, para completar o prato como guarnição, mas suficientes ao ponto de não ser exagero pedir uma porção de arroz inesquecível, até mesmo para um brasileiro, que de arroz conhece muito.


São os sabores chilenos, desses da vida toda, desses que resistiram tendências, novas cozinhas… desses que fazem com que se surpreenda quando te levam a conta, porque por um momento, havia pensado ter voltado pra casa.

2 Comentários

  1. Muito bom o post, fiquei curioso de conhecer este lugar. Eu e minha namorada estamos planejando ir pra Santiago no meio de Agosto. Tem como nos passar o endereço deste lugar?
    Quais os valores dos pratos deles mais ou menos?

    Desde já muito obrigado!

    • Oi Fagner, tudo bem?

      Claro, passo o endereço:
      Luis Tayer Ojeda, 166 Providencia. Fica do lado do Shopping Costanera Center 🙂
      Em meia o preço dos pratos varia entre os 7 e 15 dólares. Uma comida completa por pessoa pode custar 20 ou 25 usd, dependendo das bebidas (uma taza de vinho faz a diferença no valor final)
      Qualquer dúvida, fico atenta!
      Luna

Deixe o seu comentário: