Como é desembarcar no aeroporto de Santiago do Chile.

Estava sentada no avião, a poucos minutos de pousar em Santiago, quando o comissário de voo começa a entregar um papel. No avião também começa a passar um vídeo que explica o porque desse documento e quais são as razões para que o Chile seja um dos poucos países do mundo que o exigem. Assim que o vídeo acaba de passar em todas as telas do avião, a senhora que estava sentada ao meu lado acorda, assustada. Seus olhos imediatamente batem no papel que está no seu colo. Ela olha para mim, ainda um pouco tonta, e me pergunta: O que é isso? Você sabe?

Então, me dei conta de que teria que explicar a uma estrangeira uma coisa que, como chilena, já tinha tão incorporado em mim que nunca havia me preocupado em formular o raciocínio na minha cabeça. Expliquei a ela da melhor maneira que pude, mas lhe custava entender que, em Santiago do Chile, pudessem cobrar uma multa tão alta somente por não se declarar uma inocente maçã. Assumi que, assim como ela, muita gente ignora as particularidades do nosso aeroporto e a recepção que o Chile dá aos seus visitantes.

A primeira coisa que você deve saber é que o Aeroporto Arturo Merino Benitez, ou Pudahuel, como quase todos o chamam, é pequeno comparado com outros aeroportos do mundo. No entanto, recebe quase 20 milhões de passageiros por ano. Essa quantidade crescente tornou necessária uma grande reforma que, dizem, o transformaria no maior aeroporto da América Latina.

Então, agora que você já está mais situado: do que se trata esse pequeno papel sobre o qual estou falando? Assim como alguns outros países do mundo, como Nova Zelândia, Austrália e Canadá, o Chile é um país extremamente preocupado em preservar seu Patrimônio Sanitário, quer dizer, manter sob controle todo tipo de doenças e pragas que, não só podem afetar a saúde das pessoas, como também algumas de nossas principais atividades econômicas, como a viticultura e exportação agrícola. Por isso, toda pessoa que entre no Chile por ar, mar ou terra, deve preencher esse documento no qual o nosso Serviço Agrícola e Pecuário (ou SAG em espanhol) e o “Servicio Nacional de Aduanas” solicita informações que depois serão confirmadas pessoalmente.

Na foto você acima poderá ver alguns dos itens a serem verificados (não me atrevi a tirar uma foto mais próxima, pois pensei que talvez não fosse permitido fotografar tal documento), mas as perguntas mais relevantes são: seu endereço no Chile (por isso você deve saber o endereço de onde irá se hospedar, então é melhor anotar no bloco de notas do seu celular), se está entrando no Chile com alguma das mercadorias consideradas proibidas (essa informação está no verso do papel) ou se possui com você mais de 10.000 dólares em efetivo. Além disso, perguntarão se você está entrando ou não com algum tipo de produto de origem animal ou vegetal.

Nesse link do SAG tem uma lista onde você poderá verificar quais são os produtos que não se deve trazer para o Chile: http://www.sag.cl/ambitos-de-accion/por-que-no-se-pueden-ingresar-algunos-productos-de-origen-animal-y-vegetal-chile

Se você tiver alguma dúvida, pode deixar sua pergunta abaixo.

Esse é um ponto muito sensível, já soube de pessoas que estiveram horas parados na aduana por causa de um pacote de feijão que não tinham declarado, razão pela qual te recomendo que, em caso de dúvida, sempre marque SIM. Dessa maneira, o funcionário encarregado te perguntará que produto você está trazendo e ele mesmo se encarregará de dizer se é ou não permitido entrar com ele.
Procure levar uma caneta para poder preencher o documento com tranquilidade no avião. Depois que você pousar, verá centenas de pessoas, sem caneta, querendo encontrar uma e ocupando todos os espaços para preencher o papel.

Quais são os documentos necessários para entrar ao Chile.

Uma vez em solo chileno, você passará pela Polícia Internacional, onde os funcionários da Polícia de Investigações do Chile (PDI) vão solicitar seus documentos. No caso de brasileiros, os tratados vigentes entre os nossos países exigem apenas a apresentação da carteira de identidade, sem requerer passaporte ou visto. Nunca ouvi falar de alguém que tenha tido que demonstrar alguma comprovação de situação financeira, mas se você pudesse imprimir um extrato de conta corrente, no caso de não estar trazendo dinheiro em efetivo, seria melhor. Nesse momento te entregarão um papel que se chama “Tarjeta de Turismo”, cuja duração é de 90 dias. Guarde-o bem, porque você terá que mostrá-lo à Polícia Internacional quando for deixar o país. Aqui você pode encontrar mais informações a respeito.

Esse passo é bem simples, aqui é aplicado o senso comum e o brasileiro é visto como turista e não como um potencial imigrante, por isso geralmente não fazem perguntas.

Depois, será a vez de pegar a bagagem. Logo após passar pela polícia, você irá ver uma placa indicando que o “Baggage Claim” (reivindicação de bagagem) está logo à direita. Siga o fluxo e você chegará às esteiras mecânicas. Essa hora, na minha opinião, é bem caótica, ainda mais quando chegam muitos voos juntos. O setor é extremamente pequeno, me atrevo a dizer que é digno de um aeroporto regional, e não nacional, por isso pode demorar um pouco.

Já com a sua bagagem em mãos, você deve seguir uma seta, para passar pelo controle da Aduana. Já na fila, que costuma ser bem rápida, os cachorros da Brigada Canina começarão a cheirar sua bagagem em busca de algum produto de origem animal, vegetal ou ilícito. Se o cachorro identifica a sua bagagem, com certeza colocarão mais atenção nela, mas fique tranquilo pois os funcionários deste setor são sérios mas muito respeitosos, e ouso dizer que atuam sempre acreditando na boa fé do visitante. Quando chegar a sua vez, você deve colocar todas as suas malas em esteiras que serão examinadas por raio x. Não esqueça de colocar também sua mala de mão, bolsa, mochila, enfim, tudo que estiver trazendo com você e que tenha objetos no seu interior.

Além disso, você deverá entregar aquele documento, preenchido (Declaración Jurada), ao funcionário encarregado, que te perguntará quais objetos você está trazendo e, se for o caso, poderá pedir para vê-los. Já me aconteceu algumas vezes de ter colocado frascos e potes espalhados pelo meio das roupas e levei um bom tempo para encontrá-los. Colocando tudo junto na mala, você vai economizar tempo caso tenha que mostrar a alguém.

Aqui te darei uma dica importante! Alguns anos atrás, meu marido chegou ao Chile certo de que não trazia nenhum produto de origem animal ou vegetal. No entanto, o cachorro identificou a sua mala. Quando chegou a vez dele, o funcionário fez as perguntas de praxe, mas ele continuou firme, dizendo que não trazia nada. Depois de passar a mala no raio x, detectaram onde estava o objeto em questão e, depois de muito procurar, vimos que o problema havia sido que, num “ataque de jardineiro”, meu marido tinha passado muito tempo dedicando-se à botânica no quintal do meu irmão. Seus tênis tinham ficado cheios de terra e grama e, na pressa, ele só os guardou num saco e colocou na mala. Ali estava a “prova do crime”. O pior de tudo foi que não o deixaram entrar até que ele tirasse toda a terra e o resto de grama dos tênis. Por isso nós, chilenos, sabemos que com o SAG não se brinca.

Uma vez fora do aeroporto, a última etapa te espera: como chegar ao seu destino final. Para isso, fizemos esse post, onde você poderá se informar sobre as opções disponíveis. Se quiser que a gente te ajude nesse passo, você pode entrar aqui e conferir o nosso serviço de transfer.

Você pode ver no post anterior que eu indico várias empresas confiáveis, mas eu bato o pé em que PRESTEM ATENÇÃO NO MOMENTO DE CONTRATAR (Se for empresa oficial você poderá realizar o pagamento no guichê dentro do aeroporto). Embora digam que são oficiais, tentem outras alternativas, já que muchos apenas dizem que são mas, no final, acabam te enganado. Veja aqui a minha experiência infeliz com um deles.

Aqui está uma experiência “típica” com tudo o que você vai vivenciar nas suas primeiras horas no Chile. Posso acrescentar que, em termos gerais, os funcionários encarregados são muito respeitosos e agem dentro da lei, de maneira que, se você fizer tudo de maneira correta, não deveria ter nenhum tipo de problema.

2 Comentários

  1. Gostei muito do post e das dicas, já fui ao Chile 3 vezes e amo passear aí, esse ano irei novamente, um amigo irá junto, ele toma remédios controlados para diabetes, sugeri que ele leve todas as receitas médicas para apresentar aí, creio que não precise de mais nada, o que você acha? Muito obrigado

Deixe o seu comentário: