Ou uma jornada na casa dos avós.

Poucas coisas devem ser tão gratificantes como receber um belo prato quente na mesa durante um dia de frio, e melhor ainda, se é um prato capaz de reviver coisas boas e que nos fazem felizes. A gente estava procurando isto, num dia que fazia tanto frio que aceleramos o passo para entrar em calor, quando vimos que o tradicional “Emporio La Rosa”, sorveteria e cafeteria conhecida por ser uma das 25 melhores sorveterias do mundo, oferecia vários pratos típicos da cozinha tradicional chilena. Não poderia me imaginar que no seu colorido cartaz estaria o anuncio de caldos e sopas que perfumam há décadas as cozinhas chilenas, e suas receitas são passadas de mães a filhas, como as mais afortunadas heranças.

Decidimos entrar, e o empório nos recebeu com esta clássica e sutil nostalgia do passado, que faz com que a gente se lembre de tarde inteiras dormindo no sofá da casa dos avós. Existe aqui um ar que desacelera a jornada, uma pausa que conseguimos identificar logo de vários minutos de silêncio, vendo as pessoas passar. Nas paredes, pequenos pratos falam sobre este Chile rural e campesino, de dia-a-dia simples. De tempo lento…. Algo disto fica também na gente ao entrar aqui. Por isto, decidimos comer como o coração nos pedia e dar o tempo para fazer, como antes. Idealmente, algo quente, denso, destes pratos nos quais a colher vai e vem, desordenando o molho para que se esfrie.

Várias coisas me chamaram a atenção: Primeiro, a sopa de arroz e champignon, com um molho cheio de sabor, suave pela densidade do arroz feito como risoto, que me ajudou a recuperar as cores na bochecha que eu tinha perdido.  Os “Garbanzos de la Rosa” fizeram voar tocas e cachecóis, suave mas tremendamente intenso, os toques de canela e a cremosidade da abobrinha e o grão de bico, apenas resistente ao paladar, nos fizeram saber que vale a pena misturar um molho em uma panela, se o resultado deixe a quem prove mais tarde, com um sorriso como o nosso.

Nossa ideia era provar tudo, assim que continuamos com um “Tomatican” prato típico chileno, produto de grãos de milho, cebola, carne assada ao forno e finamente cortada, que termina unida em uma maravilhosa dança de tomates naturais feitos molho. Sabor e cor que alimentam um dia completo e nos deixam vitalizados com toda a energia das cores que contém.

Junto a todos os molhos, provamos um dos sanduíches da lista, e foi escolhido o que nos disseram que era o mais famoso do cardápio, o Sanduíche de Salmão com Ricota e Alcaparras. Foi uma grata surpresa ver essa grossa capa de salmão fresco e rosa aparecer entre ambas metades de um pão rústico, pois se podia perceber o sabor levemente defumado sem ser opacado por nenhum dos outros ingredientes. Muito recomendável para quem procura conhecer o verdadeiro sabor do salmão chileno.

Para terminar a nossa visita, não podia falta algum dos sorvetes que faz famoso a este lugar. A escolha foi Rosas e Manjar Branco, prazer que podíamos permitir porque, apesar do frio, a comida nos devolveu a alma ao corpo.

É hora de ir embora, mas prolongamos a estadia com um cafezinho, como da casa dos avós, onde bebemos lentamente, sendo vigiados por este olhar pensativo de quem cozinhou a manhã inteira para você, e que te olha só para constatar como você cresceu.

O “Empório  la Rosa” propõem algo que consegue: nos trasladar para aquele lugar das nossas vidas, despreocupado e feliz, onde nós voltamos a ser a criança que recebe um prato feito com amor, preparado com um dos ingredientes mais importantes que podem existir na vida: Essa promessa de voltar a estar aí, sempre que a gente precise.

:·)

Deixe o seu comentário: